Sessão Assíncrona

23/03/2021 - 09:00 - 18:00
SA11 - Eixo 10 - Produção de Conhecimento em Política, Planejamento e Gestão no Contexto da Saúde Coletiva (TODOS OS DIAS)

35407 - O ENSINO DO EIXO DE POLÍTICA, PLANEJAMENTO E GESTÃO NO CURSO DE GRADUAÇÃO EM SAÚDE COLETIVA DA UNIVERSIDADE DE PERNAMBUCO
JOSELMA CAVALCANTI CORDEIRO - UPE, LUSANIRA MARIA DA FONSECA DE SANTA CRUZ - UPE, MARCIA ANDRÉA OLIVEIRA CUNHA - UPR, JOSÉ EUDES DE LORENA SOBRINHO - UPE, MARIA CRISTINA SETTE DE LIMA - UPE, MARIA BERNADETE CERQUEIRA ANTUNES - UPE, FÁBIO HENRIQUE CAVALCANTI DE OLIVEIRA - UPE


Resumo
Para a formação do Bacharel em Saúde Coletiva é obrigatório lhes proporcionar competências específicas e interprofissionais para o exercício profissional nos sistemas, programas e serviços, assim como em outros espaços sociais e intersetoriais em que se desenvolvam práticas de saúde.
A construção da proposta do bacharelado está fundamentada em complementar a lacuna histórica da ausência de formação de sanitarista e nas discussões para a implementação destes cursos efetuadas em encontros nacionais promovidos pela Associação Brasileira de Saúde Coletiva (ABRASCO). O objetivo desse trabalho é compartilhar a forma como vem se estruturando o ensino no eixo de Política, Planejamento e Gestão em Saúde no Projeto Pedagógico do Curso (PPC) de Graduação em Saúde Coletiva.
Quanto a metodologia o PPC se organiza pedagogicamente através da problematização para o desenvolvimento e consolidação das competências, descritas nos eixos de formação, de maneira a contribuir para aprendizagens significativas dos estudantes.
No contexto do curso da UPE, o eixo se estrutura a partir de 12 Componentes Curriculares (CC) a serem desenvolvidos pelo aluno durante os 3 primeiros anos. Os CC foram organizados em Objetivos, Competências e produtos a serem desenvolvidos pelos alunos. Para cada componente, foram identificados os métodos de ensino e avaliação.


Introdução
O curso de bacharelado em saúde coletiva da Universidade de Pernambuco foi implantado no ano de 2013. O currículo está estruturado em oito períodos letivos mediante conteúdo das Ciências da Vida e da Saúde Coletiva.
Esse Sanitarista formado na graduação tem competência para atuar no nível municipal, estadual e federal, em autarquias públicas dos setores da Seguridade Social. No setor Saúde tem sua inserção no mundo do trabalho voltada para o desenvolvimento do Sistema Único de Saúde.
Objetiva-se a formar o sanitarista generalista, autônomo, crítico, reflexivo, competente nos aspectos científico, técnico, social, político, ético e habilitado a intervir nos diversos níveis de organização e de complexidade.
Dentre os objetivos gerais do curso: formar sanitaristas para: o exercício da gestão e administração de serviços de saúde; compreensão e o desenvolvimento de políticas e programas de saúde; o planejamento, avaliação e a monitoração de problemas de saúde; a elaboração de diagnóstico sanitário; a compreensão dos determinantes do processo saúde-doença-cuidado; e o desenvolvimento da Vigilância à Saúde visando realizar ações de promoção da saúde, prevenção de doenças e redução de danos.


Objetivos
Compartilhar a forma como vem se estruturando o ensino no eixo de Política, Planejamento e Gestão em Saúde – PPGS no Projeto Pedagógico do Curso de Graduação em Saúde Coletiva - CGSC da Universidade de Pernambuco - UPE.

Metodologia
A abordagem metodológica focada na crítica da realidade, na busca pela conscientização, no desenvolvimento de um processo em que o sujeito se torna capaz de apreender a unidade dialética entre ele e o objeto de ensino. Para alguns dos Componentes Curriculares de Atividades de Campo, as práticas, a Aprendizagem Baseada em Problemas (ABP) são utilizadas pois, possui também, uma perspectiva construtivista, relacionada à Teoria Piagetiana da equilibração cognitiva, a qual considera que o conhecimento deve ser produzido a partir da intersecção entre o sujeito e o mundo. Um de seus principais pressupostos é de que o conhecimento é construído em oposição à proposta da memorização de conteúdos e do currículo construído na divisão de disciplinas. A avaliação e feita através da a avaliação de conhecimentos, a avaliação de atitudes, avaliação de habilidades a avaliação de habilidades é individual, tem como foco o trabalho em equipe e é realizada ao final de módulo.


Resultados e Discussão
Estruturação do eixo de Política Planejamento e Gestão: no I período são oferecidos os Componentes Curriculares (CC): Saúde da Comunidade que abrange Política Nacional da Atenção Básica; e, o Modulo Interprofissional que objetiva a formação para o trabalho em equipe, colaborativo de estudantes dos cursos de graduação de ciências da saúde. No II período o CC prático Gestão no Distrito Sanitário, e o CC teórico Introdução à Política e ao Planejamento em Saúde. No III período, são os CC Gestão no Nível Municipal e o teórico Gestão em Saúde, que trabalha os fundamentos e evolução das políticas públicas municipais. No IV período o CC Gestão na Atenção Especializada e Hospitalar com vivências nos serviços de saúde da média e alta complexidade do Complexo Hospitalar da UPE, e o teórico Administração e Planejamento em Saúde. No V período, são os CC Gestão no Nível Estadual, e o CC teórico Administração e Planejamento em Saúde II. No VI período o CC prático Gestão no Nível Federal e o CC teórico Administração, Planejamento e Inovação em Ciência e Tecnologia em Saúde. No VII e VIII Estágio Curricular Obrigatório e o suporte teórico para a construção do Trabalho de Conclusão do Curso.

Conclusões / Considerações finais
A proposta do currículo integrado busca articular teoria e prática sem fragmentação, o que torna o conhecimento integrado e interdisciplinar. O Projeto pedagógico do CGSC da UPE foi construído e avaliado periodicamente.
A organização do currículo por competências pode ser considerada como um dos caminhos possíveis de serem trilhados dentre as diversas estradas disponíveis para possibilitarem a aquisição de uma aprendizagem significativa, que é o que buscamos para a formação do nosso Sanitarista.
Os componentes do Núcleo Docente Estruturante estão debruçados na análise crítica das competências a serem promovidas em cada período e nos componentes e conteúdo dos eixos de conhecimentos estruturadores com vistas à atualização e aprimoramento do Projeto Político e Pedagógico.
Assim, poderemos verdadeiramente consolidar em Módulos os conhecimentos das diversas áreas envolvidos nos eixos para consolidar a formação do Sanitarista proposto por nossas Diretrízes Curriculares.


Referências
BRASIL. Ministério da Saúde. Fundaçao Oswaldo Cruz. Manual de Planejamento do SUS. Brasília : Ministério da Saúde, 1. ed., rev., 2016. 138 p. : il. – (Série Articulação Interfederativa ; v. 4.
_______. Ministério da Saúde.DECRETO 7.508 de 28/06/2011.

CAMPOS, G.W.S [et al.] Tratado de Saúde Coletiva. São Paulo: Hucitec. Rio de Janeiro: Fiocruz, 2006.
CORTELLA, F. J. ; PACINI, F. C. & LOTTA, G. S. Gestão estratégica. In: Elias PEM, Seixas PHD. Política e Gestão em Saúde. São Paulo: Hucitec, 2011.
ILDES. MAPP: Método Altadir de Planejamento Popular, 2004 (Mimeo).
MENDES, E.V. Distrito Sanitário: o processo social de mudança das práticas Sanitárias do Sistema Único de Saúde. 2. ed. São Paulo/Rio de Janeiro: Hucitec/ABRASCO, 1994.
________ Uma agenda para a saúde. São Paulo: Hucitec, 1996.

PERRENOUD, Philippe. Construir competências desde a escola. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.
RECIFE. Plano Municipal de saúde do Recife.

Trabalhos Aprovados

Veja as orientações sobre a apresentação dos trabalhos.

SAIBA MAIS
Programação Científica

Consulte a programação completa das palestras e cursos disponíveis.

SAIBA MAIS
Informações Importantes

Informe-se!
Veja as últimas notícias!

SAIBA MAIS