Comunicação Oral

23/03/2021 - 14:15 - 15:45
CC07 - Eixo 4.1 - A atenção básica na epidemia da Covid 19 (2)

35306 - ABORDAGEM PARTICIPATIVA NA CONSTRUÇÃO DO INSTRUMENTO PARA DIAGNÓSTICO DA CAPACIDADE DE RESPOSTA À COVID-19 NA ATENÇÃO PRIMÁRIA À SAÚDE NO DF
DENISE DE LIMA COSTA FURLANETTO - UNB, LEONOR MARIA PACHECO SANTOS - UNB, WALLACE DOS SANTOS - UNB/SES-DF, AIMÊ OLIVEIRA - UNB, KLÉBYA HELLEN DANTAS DE OLIVEIRA - UNB, FABRÍCIO VIEIRA CAVALCANTE - UNB, RICARDO RAMOS DOS SANTOS - SES-DF, MAGDA DUARTE DOS ANJOS SCHERER - UNB


Resumo
A atenção primária à saúde (APS) tem enfrentado o desafio de se reorganizar para assim potencializar a capacidade de resposta nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) frente à Covid-19. A disponibilização de uma ferramenta que identifique as demandas e capacidade instalada das UBS, neste contexto de pandemia, pode permitir que a gestão dos serviços seja mais efetiva diante dos desafios impostos. O presente trabalho tem o objetivo de apresentar o processo de construção de um instrumento para diagnóstico de estrutura e avaliação da capacidade de resposta de UBS do Distrito Federal (DF), de acordo com os serviços e diretrizes da APS, e suas adaptações frente ao contexto de pandemia da Covid-19. Foi elaborado um instrumento com 11 eixos: identificação do respondente; identificação da UBS; funcionamento da UBS; força de trabalho; organização e processo de trabalho; estrutura; equipamentos, mobiliários e insumos; medidas de proteção; acompanhamento de usuários e exames; informação, vigilância, integração e comunicação; gestão. Os resultados obtidos a partir de sua aplicação têm o potencial de subsidiar a gestão para enfrentamento à situação atual de pandemia, além de poder auxiliar no monitoramento e avaliação da estrutura das UBS para os atendimentos de rotina e capacidade de resposta a futuras demandas emergenciais que possam ocorrer.

Introdução
A pandemia ocasionada pela Covid-19 espalhou-se pelo mundo de forma devastadora. No Brasil foram contabilizados mais de 4,6 milhões de casos e 140 mil óbitos, até setembro 2020 (1). O modo de transmissão do novo coronavírus, que pode ocorrer pelo contato, pelo ar ou por superfícies contaminadas, demanda uma atenção especial por parte dos serviços de saúde. Assim, a atenção primária à saúde (APS), porta de entrada preferencial na rede de serviços do Sistema Único de Saúde (SUS), tem o desafio de se reorganizar para assim potencializar a capacidade de resposta nas Unidades Básicas de Saúde (UBS) frente à Covid-19. A disponibilização de uma ferramenta que identifique as demandas e capacidade instalada das UBS, neste contexto de pandemia, pode permitir que a gestão dos serviços seja mais efetiva diante dos desafios impostos. A estrutura é um importante componente para análise dos serviços de saúde, se adequada, possibilita a oferta de serviços de qualidade e contribui para o desenvolvimento de processos voltados para o cuidado e melhoria da qualidade da atenção à saúde (2).

Objetivos
Apresentar o processo de construção de um instrumento para diagnóstico de estrutura e avaliação da capacidade de resposta de UBS do Distrito Federal, de acordo com os serviços e diretrizes da APS, e suas adaptações frente ao contexto de pandemia da Covid-19.

Metodologia
O instrumento foi desenvolvido em parceria por uma equipe de pesquisadores da UNB e a equipe técnica da Coordenação de APS da Secretaria de Saúde (SES) do DF, de abril a agosto de 2020. A construção se deu a partir de consulta a normativas, documentos técnicos do Ministério da Saúde e da SES/DF, que tratam da APS e das medidas para enfrentamento à Covid-19 e de instrumentos disponíveis para avaliação da APS. Durante o processo, o instrumento foi revisado por um grupo de especialistas em APS e profissionais de saúde do DF, quanto a critérios de clareza, simplicidade, objetividade e adequação técnica e contextual. A versão final incluiu 11 eixos: identificação do respondente; identificação da UBS; funcionamento da UBS; força de trabalho; organização e processo de trabalho; estrutura; equipamentos, mobiliários e insumos; medidas de proteção; acompanhamento de usuários e exames; informação, vigilância, integração e comunicação; e gestão.

Resultados e Discussão
O instrumento e os procedimentos para a coleta de dados foram previamente testados em duas UBS prisionais do DF. Foram realizados os ajustes necessários, nos quesitos adequação de linguagem e clareza. A aplicação do instrumento foi dirigida a gerentes e supervisores de UBS. A coleta de dados foi dividida em duas etapas: entrevista telefônica, seguida pelo envio de link do instrumento para autopreenchimento, alocado na Plataforma RedCap, com os demais eixos. A aplicação do instrumento em duas etapas permite que os gestores possam consultar documentos e dados necessários para resposta durante o autopreenchimento. O tempo de intervalo entre as duas etapas proposto foi de até uma semana. Os resultados obtidos, além do potencial de subsidiar a gestão para enfrentamento à situação atual de pandemia, pode auxiliar no monitoramento e avaliação da estrutura das UBS para os atendimentos de rotina e capacidade de resposta a futuras demandas emergenciais que possam ocorrer. O instrumento permite ainda avaliar a tipologia da estrutura das UBS brasileiras, conforme recentemente proposto por Bousquat et al (3).

Conclusões / Considerações finais
De maneira a subsidiar a capacidade de resposta em tempo oportuno, o instrumento proposto tem o potencial de contribuir para o fortalecimento da gestão da APS. Diante do contexto de pandemia, os sistemas de saúde tem o desafio tanto de reorganizar sua oferta de serviços, estrutura, processos de trabalho, fluxos de atendimento e comunicação, e manter o funcionamento das ofertas regulares, essenciais para continuidade de tratamentos e atendimento de grupos prioritárias. Essa reorganização e adequação é essencial para reduzir o percentual da população sem acesso aos serviços de saúde, e para que as desigualdades sociais, acentuadas pela pandemia de Covid-19, sejam atenuadas. Assim, o instrumento de avaliação da estrutura e da capacidade de resposta das UBS à Covid-19 proposto pode revelar potencialidades das UBS, além de auxiliar no controle da pandemia.

Referências
1. Brasil. Ministério da Saúde. (2020). Boletim Epidemiológico Especial. COE-COVID19. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/boletins-epidemiologicos-1 Acesso 03 out 2020.

2. Donabedian A. The quality of care. How can it be assessed? Journal of the American Medical Association, 1988; 260:1743-1748.

3. Bousquat A; Giovanella L; Fausto, MCR; Fusaro ER; Mendonça MHM; Magalhães de Gagno et al. Tipologia da estrutura das unidades básicas de saúde brasileiras: os 5 R. Cad. Saúde Pública, 2017; 33:8.

Trabalhos Aprovados

Veja as orientações sobre a apresentação dos trabalhos.

SAIBA MAIS
Programação Científica

Consulte a programação completa das palestras e cursos disponíveis.

SAIBA MAIS
Informações Importantes

Informe-se!
Veja as últimas notícias!

SAIBA MAIS