Sessão Assíncrona

23/03/2021 - 09:00 - 18:00
SA60 - Eixo 7 - INTEGRAÇÃO ENSINO-SERVIÇO (TODOS OS DIAS)

35221 - PROJETO DA HORTA PARA ALIMENTAÇÃO ESCOLAR
JEAN MÁRCIA OLIVEIRA MASCARENHAS - UNEB, GLAUCIA NUNES SANTOS REIS - UNEB, JACIVÂNIA RIBEIRO SOUZA - UNEB


Resumo
O presente relato tem como objetivo refletir e divulgar sobre o processo de construção de uma experiência de extensão desenvolvida em uma escola pública, destacando a construção de várias experiências e suas potencialidades e um conjunto de ações foram desenvolvidas na primeira etapa do projeto “Da horta para alimentação escolar”, as quais visam contribuir e despertar nos alunos uma maior consciência a cerca de uma alimentação saudável e as práticas de bons hábitos alimentares, na redução dos casos de obesidade, sobrepeso, desnutrição entre outras patologias presentes nos alunos da rede pública de ensino. O projeto realizou a aquisição de material, organização da estrutura das hortas, oficinas e palestras sobre alimentação saudável, controle de pragas e criação de barreiras para acesso destes animais no local destinado ao cultivo das hortas, criação do viveiro de mudas, plantação das mudas, acompanhamento e molha das hortas, desenvolvimento de uma composteira para aproveitar o resíduo produzido e fazer sua utilização na adubação das hortas. Esta experiência tem possibilitado ensinamentos sobre plantio e sustentabilidade ambiental, a importância de uma alimentação produzida de maneira saudável , sem uso de agrotóxicos, envolvendo todo o corpo pedagógico da escola e diretores todos os envolvidos na busca da construção de hábitos alimentares saudáveis.

Introdução
O número de crianças e adolescentes obesos aumentou dez vezes nas últimas quatro décadas em todo o mundo. Se as tendências atuais continuarem, haverá mais crianças e adolescentes com obesidade do que com desnutrição moderada e grave até 2022, de acordo com um novo estudo liderado pelo Imperial College London e pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Como consequência, 124 milhões de crianças e adolescentes entre 5 e 19 anos ao redor do mundo estavam obesos em 2016 (OPAS, 2017). Para a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) e Organização Mundial de Saúde (OMS) a obesidade infantil apresenta dimensões epidêmicas. Estes agravos á saúde estão diretamente relacionados às mudanças nos hábitos alimentares, desenvolvidos e adquiridos desde a infância e adolescência, ao desmame precoce, falta de atividade física, entre outros fatores, que podem interferir na saúde do individuo adulto e a escola é um espaço propício para essa discussão e amadurecimento desse tema. No cenário contemporâneo, o resgate do vínculo do alimento com a natureza é central para o desenvolvimento de práticas educativas na área de alimentação e nutrição nas escolas.

Objetivos
O presente artigo tem como objetivo relatar e trazer reflexões sobre o processo de construção de hortas no ambiente escolar como proposta pedagógica nas ações de educação alimentar e nutricional, destacando suas possibilidades e metas já desenvolvidas na primeira etapa do projeto, ações essenciais por contribuir e despertar consciência a cerca de uma alimentação saudável e práticas de bons hábitos alimentares nos estudantes da escola participante do projeto.


Metodologia
O Projeto nessa primeira etapa se concentrou nas seguintes ações: aquisição de material, organização da estrutura das hortas (limpeza e adubação do solo destinado à implantação das hortas), oficinas e palestras sobre alimentação saudável, controle de pragas e criação de barreiras para acesso destes animais no local destinados ao cultivo das hortas, criação do viveiro com mudas, plantação das mudas, acompanhamento e molha das hortas, desenvolvimento de uma composteira para aproveitar o resíduo adubar as hortas. Esta experiência permitiu aos estudantes assim como aos alunos da universidade a percepção do trabalho no campo envolvendo todos os ensinamentos sobre plantio e sustentabilidade ambiental, a importância de uma alimentação produzida de maneira saudável, sem uso de agrotóxicos e com mais saúde e qualidade de vida, envolvendo todo o corpo pedagógico da escola, como funcionários, diretores, na busca da construção de hábitos alimentares saudáveis.

Resultados e Discussão
O presente relato se propõe a refletir, amadurecer e divulgar sobre o processo de construção de uma experiência de extensão desenvolvida em uma escola estadual de Salvador-BA, destacando suas possibilidades e algumas ações já desenvolvidas no projeto “Da horta para alimentação escolar”, no sentido de contribuir na formação dos alunos desta escola, buscando despertar nos alunos uma maior consciência a cerca de uma alimentação saudável e as práticas de bons hábitos alimentares. Desse modo, contribuir com a redução dos casos de obesidade, sobrepeso, desnutrição entre outras patologias presentes nos alunos da rede pública de ensino, sendo o mesmo conduzido à luz das necessidades sócio-político-sanitárias contemporâneas impostas pela realidade brasileira.

Conclusões / Considerações finais
As reflexões presentes neste estudo levam a afirmar que as experiências de extensão no campo da nutrição social, através de práticas de educação alimentar e nutricional desenvolvidas em escolas públicas, podem contribuir com a formação de uma nova consciência sobre hábitos alimentares saudáveis assim como promover a mudanças de comportamento. As atividades desenvolvidas na primeira etapa do projeto tem possibilitado a toda comunidade escolar o conhecimento sobre solo, adubação, botânica, alimentos, hortaliças e ervas medicinais. Estas experiências têm permitido aos alunos da escola, assim como da universidade a percepção do trabalho no campo envolvendo todos os ensinamentos sobre plantio e sustentabilidade ambiental, a importância de uma alimentação produzida de maneira sustentável, sem uso de agrotóxicos e sua relação com a saúde e qualidade de vida.

Referências
1.CASTRO, I. R. R. et al. A culinária na promoção da alimentação saudável: delineamento e experimentação de método educativo dirigido a adolescentes e a profissionais das redes de saúde e de educação. Revista de Nutrição, Campinas, v. 20, n. 6, p. 571-588, dez. 2007. 2.SILVÉRIO Lopes, Patrícia Carriel, Almeida Prado, Sônia Regina Leite de, Colombo, Patrícia, Fatores de risco associados à obesidade e sobrepeso em crianças em idade escolar. Revista Brasileira de Enfermagem. 2010. 3.HOLLIDAY, O. J. Para sistematizar experiências. João Pessoa: Editora Universitária UFPB, 1996. MINAYO, M. C. S. O desafio do conhecimento: pesquisa qualitativa em saúde. 8. ed. São Paulo: Hucitec, 2004. 4.SANTOS, L.A.S. Educação alimentar e nutricional no contexto da promoção de práticas alimentares saudáveis. Rev. Nutr., Campinas, 18(5):681-692, set./out., 2005. 5.OPAS- Organização Panamericana de Saúde. Organização Mundial de Saúde (OMS). 2019.

Trabalhos Aprovados

Veja as orientações sobre a apresentação dos trabalhos.

SAIBA MAIS
Programação Científica

Consulte a programação completa das palestras e cursos disponíveis.

SAIBA MAIS
Informações Importantes

Informe-se!
Veja as últimas notícias!

SAIBA MAIS