Sessão Assíncrona

23/03/2021 - 09:00 - 18:00
SA52 - Eixo 7 - CAPACITAÇÃO DA FORÇA DE TRABALHO EM SAÚDE (GRUPO III) (TODOS OS DIAS)

35183 - PRÁTICAS EDUCATIVAS NO PROCESSO DE APRENDIZAGEM DO CTMNS: O EIXO TRABALHO NA EPSJV
MARIA CIAVATTA - UFF, RENATA REIS - EPSJV/FIOCRUZ, ANNA VIOLETA DURÃO - EPSJV/FIOCRUZ


Resumo
Como construir significados sobre o mundo do trabalho em saúde com adolescentes estudantes do ensino médio integrado? Esta pergunta moveu nossa reflexão sobre a experiência educativa que compõe o currículo do Curso Técnico Integrado ao Ensino Médio em Saúde (CTNMS) da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (EPSJV/Fiocruz) organizada na forma de um dos principais eixos de conhecimento da educação profissional, o Eixo Trabalho. Neste relato de experiência procuramos apresentar este componente curricular e as práticas educativas adotadas para ministrar conteúdos que fazem parte de uma realidade ainda distante do universo adolescente. Os processos escolares de preparação para o trabalho se confrontam com dualidades históricas de desigualdades socioeconômicas e culturais, que colocam em lados opostos a capacitação para o trabalho ou o prosseguimento dos estudos, o trabalho manual e o trabalho intelectual, de forma a hierarquizar o conhecimento, as relações e os processos de trabalho. O conceito de politecnia busca romper com essa dualidade ao tornar indissolúvel os aspectos manuais e intelectuais, considerando-os intrínsecos e concomitantes no trabalho humano. A concepção politécnica entende que os trabalhadores se educam no conflito e na contradição e que o conhecimento científico é um instrumento fundamental para as disputas que perpassam a divisão social do trabalho.

Introdução
A EPSJV é uma unidade técnico-científica da Fiocruz voltada para diversas modalidades de ensino, produzindo conhecimentos sobre os campos trabalho, ciência, educação e saúde e suas influições na formação de trabalhadores técnicos em saúde. Desde 2006 vem desenvolvendo no Curso Técnico Integrado ao Ensino Médio em Saúde, um dispositivo de integração curricular entre os conhecimentos da formação geral e da formação técnica, denominado Iniciação à Educação Politécnica (IEP). Partindo da noção de politecnia, o IEP incorpora as premissas da pesquisa como princípio educativo, e da educação da sensibilidade, dos sentidos e dos sentimentos. A articulação destas premissas à concepção do trabalho como princípio educativo tem buscado romper com a dualidade histórica entre a formação técnica-instrumental e a formação integral, aliando os conhecimentos científicos a uma formação humanista e crítica sobre o trabalho em saúde, capaz de atuar no sentido de sua transformação. impõem-se novos contornos às práticas educativas e ao sentido da educação politécnica, a partir de uma concepção de mundo e de valores que pautam a convivência humana, o domínio do conhecimento, a ciência e as tecnologias.

Objetivos
Apresentar e refletir sobre as práticas educativas presentes na experiência docente no Eixo Trabalho, um dos eixos de conhecimento que estruturam o currículo do Curso Técnico Integrado ao Ensino Médio em Saúde da EPSJV/Fiocruz

Metodologia
Buscamos ministrar os conteúdos do Eixo Trabalho através de outras formas de linguagens, experiências e construção de sentidos. Nosso interesse é captar nos processos de aprendizagem, o desenvolvimento de um olhar sobre o mundo do trabalho em saúde, que permita ao estudante tornar-se um trabalhador técnico que pensa, age, dirige e planeja sua prática profissional, em consonância com a totalidade das relações sociais de produção do trabalho em saúde e de sua própria vida. Adotamos o portfólio como instrumento de avaliação, uma espécie de dossiê onde são registradas as produções dos alunes sobre cada uma das temáticas tratadas durante o eixo. Utilizando formas diversas de expressão e linguagem (imagens, textos escritos, desenhos, colagens, etc), o portfólio é um interessante dispositivo educativo que estimula a criatividade, o desenvolvimento cognitivo, o potencial crítico e artístico dos adolescentes, permitindo a manifestação de suas singularidades.

Resultados e Discussão
Como exemplo de práticas educativas, refletimos com os estudantes as principais características do modelo de acumulação flexível, sua singularidade na realidade brasileira, enfatizando a precarização nas formas de contratação e nas condições de trabalho. Posteriormente, os alunos são estimulados a elaborar um roteiro de entrevista para ser aplicado junto aos trabalhadores de diferentes cargos, funções e vínculos empregatícios da própria escola. Os alunos entram em contato com a materialidade das diversas situações de trabalho e os entrevistados sentem-se reconhecidos por participarem da construção do trabalho pedagógico em sentido estrito, compartilhando e refletindo com os alunos diversos aspectos do seu trabalho. Ao final do curso, convidamos profissionais técnicos da área da saúde para debater e trocar experiências de suas trajetórias de formação e de trabalho. Estes encontros diminuem o afastamento entre as mediações do trabalho e da educação, que para os jovens alunos em formação, se dá de forma mediata.

Conclusões / Considerações finais
Práticas educativas podem proporcionar vivenciar, agir e refletir criticamente sobre o mundo. Buscamos linguagens que possibilitam entender as relações constitutivas entre trabalho, cultura e vida. Percebemos, ao longo de nossa experiência docente, que os estudantes constroem e reconstroem sua práxis ao longo dos quatro anos do CTNMS. O eixo Trabalho é um momento importante desse processo de aprendizagem. A troca de experiências entre os jovens alunos e os adultos trabalhadores tem sido um caminho promissor. O contato direto com os técnicos tem colaborado para que os estudantes compreendam funções, contradições e mediações que envolvem o trabalho técnico em saúde, suas possibilidades e limites, além de oportunizar um momento de sonhar e projetar o seu futuro. Ao refletir sobre processos educativos, tratamos de processos históricos e dialéticos. Como tal, são particularidades que pertencem a uma totalidade que está em constante transformação e, por isso mesmo, seu caráter provisório.

Referências
ARAÚJO, Ronaldo Lima de. Prática pedagógicas e ensino integrado. Revista Educação em Questão, Natal, v. 52, n. 38, p. 61-80, mai./ago. 2015.
CIAVATTA, Maria. Trabalho como princípio educativo. In PEREIRA, I. B e LIMA, J.C. F. (orgs) Dicionário da Educação Profissional em Saúde.2 ed. Rio de Janeiro: EPSJV, 2009.
FRIGOTTO, Gaudêncio; CIAVATA, Maria, RAMOS, Marise. O trabalho como princípio educativo no projeto de educação integral de trabalhadores. In: COSTA, Hélio da e CONCEIÇÃO, Martinho. Educação Integral e Sistema de Reconhecimento e certificação educacional e profissional. São Paulo: Secretaria Nacional de Formação – CUT, 2005. p. 63-71
PONTES, Ana Lucia e FONSECA, Angelica Ferreira. Iniciação à Educação Politécnica em Saúde: uma proposta de formação de técnicos em saúde. in Trab. Educ. Saúde, v. 5 n. 3, p. 559-569, nov.2007/fev.2008.

Trabalhos Aprovados

Veja as orientações sobre a apresentação dos trabalhos.

SAIBA MAIS
Programação Científica

Consulte a programação completa das palestras e cursos disponíveis.

SAIBA MAIS
Informações Importantes

Informe-se!
Veja as últimas notícias!

SAIBA MAIS