Comunicação Oral

26/03/2021 - 11:15 - 12:45
CC56 - Eixo 7 - Ensino e serviço no enfrentamento da pandemia

35032 - GESTÃO DO TRABALHO E DA EDUCAÇÃO NA SAÚDE NO ENFRENTAMENTO A COVID-19 EM UM HOSPITAL DE REFERÊNCIA NO ESTADO DA PARAÍBA
THAÍS MAÍRA DE MATOS - SES/PB (ATÉ MAIO DE 2020); E UFRN., CASSIANO AUGUSTO OLIVEIRA DA SILVA - CHCF/SES/PB, ROSANA LÚCIA ALVES DE VILAR - UFRN


Resumo
A emergência sanitária impôs aos gestores a necessidade de ampliar o olhar e dedicar atenção à temas estruturantes que vão desde o abastecimento de medicamentos, insumos e EPIs, até a necessidade de retomada da priorização na pauta da Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Este relato tem como objetivo compartilhar a experiência de estratégias da Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde desenvolvidas no Enfrentamento à COVID-19 no Complexo de Doenças Infectocontagiosas Clementino Fraga/PB. Foi criado um comitê de emergência integrado pela direção e coordenações setoriais, objetivando planejar, executar, monitorar e avaliar as ações de enfrentamento. Nos principais resultados da experiência destacam-se: acesso dos médicos intensivistas a teleconsultoria; inserção de enfermeiro diarista na UTI; qualificação em serviço das equipes; convocação de profissionais de processo seletivo; redução do tempo de plantão; e atendimento de saúde das equipes. A experiência relatada, a despeito das dificuldades existentes, traz resultados evidenciando que as medidas adotadas na área da gestão do trabalho e da educação na saúde foram fundamentais para fortalecer o enfrentamento da pandemia, contribuindo na amenização dos efeitos deletérios com soluções imediatas em um contexto tão adverso.
Palavras-Chave: COVID-19; Gestão do Trabalho; Gestão da Educação;



Introdução
A emergência de saúde pública global causada pela disseminação da COVID-19 revela fragilidades em todas as áreas, com destaque à gestão de serviços do Sistema Único de Saúde (SUS). As consequências da pandemia da COVID-19 impactaram as vidas humanas, o setor social e econômico e a organização da gestão em saúde. Antes da pandemia, o SUS já passava por constantes subfinanciamentos, tendo como consequências deficiências estruturais, problemas na gestão do trabalho e da educação na saúde, fragilidades na organização da gestão do cuidado, entre outras (SOUZA et AL 2019). A emergência sanitária impôs aos gestores a necessidade de ampliar o olhar e dedicar atenção à temas estruturantes que vão desde o abastecimento de medicamentos, insumos e EPI’s, até a necessidade de retomada da priorização na pauta da Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Problemas crônicos nessa área vêm ocasionando nós críticos na gestão dos serviços de saúde há décadas, sendo imperativo intervir considerando a centralidade dos trabalhadores da saúde no processo de trabalho desenvolvido, entendendo que se faz saúde com o trabalho que se organiza e produz a qualidade do cuidado no SUS (ANDRADE; PINTO, 2020).

Objetivos
Compartilhar a experiência de estratégias da Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde desenvolvidas no Enfrentamento à COVID-19 no Complexo de Doenças Infectocontagiosas Clementino Fraga- PB.

Metodologia
No Estado da Paraíba, o Complexo de Doenças Infectocontagiosas Clementino Fraga (CHCF), como hospital de referência, se organizou para atender casos de COVID-19, e um dos aspectos priorizados foram ações da Gestão do Trabalho e da Educação na Saúde. Foi criado no CHCF um comitê de emergência integrado pela direção e coordenações setoriais, objetivando planejar, executar, monitorar e avaliar as ações de enfrentamento à COVID-19. O Comitê se reunia semanalmente para discussões, pactuações e decisões coletivas. Os planos estaduais e locais materializam a estruturação de uma agenda estratégica, na perspectiva de qualificar as ações para uma resposta efetiva face à pandemia da COVID-19 (MACHADO et al, 2020). As estratégias e ações de Gestão do Trabalho e de Educação na Saúde foram construídas e definidas a partir da análise dos problemas e demandas locais com participação direta dos setores envolvidos na gestão.

Resultados e Discussão
Para o enfrentamento da COVID-19 o grande desafio era organizar serviço em um cenário de subdimensionamento de equipes, acesso limitado à EPIs, bases de remuneração diferentes por categorias e vínculos contracenando com uma doença desconhecida com alto potencial contagioso, ocasionando o medo e a insegurança. Em paralelo à organização da estrutura física e do abastecimento, foram escaladas equipes para trabalhar exclusivamente no atendimento a COVID-19, com construção horizontal dos protocolos assistenciais. Como principais resultados da experiência destacam-se: acesso dos médicos intensivistas a teleconsultoria; inserção de enfermeiro diarista na UTI; qualificação em serviço das equipes; convocação de profissionais de processo seletivo; Visita de acompanhamento da CCIH e SESMT aos setores; redução do tempo de plantão; e atendimento de saúde das equipes. A melhoria das condições de trabalho, estabelecimento de fluxos assistenciais e implantação de protocolos de rotina recomendados para o controle da Covid-19 é imprescindível para a garantia de ambientes de trabalho seguros (HELIOTERIO et al, 2020).

Conclusões / Considerações finais
A emergência sanitária causada pela COVID-19 imprimiu um ritmo de gestão mais acelerado, sendo necessário lançar olhar para todos os aspectos: administrativos, gestão do cuidado, gestão do trabalho e gestão da educação. Foram adotadas medidas de reorganização do processo de trabalho, visando minimizar o risco da infecção, o adoecimento dos trabalhadores e também oferta de estratégias de educação na saúde de forma significativa. A experiência relatada, a despeito das dificuldades existentes, traz resultados evidenciando que as medidas adotadas na área da gestão do trabalho e da educação na saúde foram fundamentais para fortalecer o enfrentamento da pandemia no Complexo de Doenças Infectocontagiosas Clementino Fraga, contribuindo na amenização dos efeitos deletérios com soluções imediatas em um contexto tão adverso.

Referências
ANDRADE,L.R. de; PINTO,I.C.de M. Gestão do trabalho em modelos alternativos de gestão hospitalar: o exemplo da parceira público-privada. In: CASTRO, J. L. et al. (orgs) Trabalho e Educação na Saúde: análises e vivências. Natal, RN: UMA, 2020.
HELIOTERIO, Margarete C. et al. Covid-19: por que a proteção da saúde dos trabalhadores e trabalhadoras da saúde é prioritária no combate à pandemia? Trabalho, Educação e Saúde, v. 18, n. 3, 2020, e00289121. DOI: 10.1590/1981-7746-sol00289.
MACHADO, M. F., QUIRINO, T.R.L, SOUZA, C.D.F. Vigilância em Saúde em tempos de pandemia: análise dos planos de contingência dos estados do Nordeste. Vigil. sanit. debate 2020;8(3):70-77.
SOUZA, Luis Eugenio Portela Fernandes de et al . Os desafios atuais da luta pelo direito universal à saúde no Brasil. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro , v. 24, n. 8, p. 2783-2792, Aug. 2019 . Available from

Trabalhos Aprovados

Veja as orientações sobre a apresentação dos trabalhos.

SAIBA MAIS
Programação Científica

Consulte a programação completa das palestras e cursos disponíveis.

SAIBA MAIS
Informações Importantes

Informe-se!
Veja as últimas notícias!

SAIBA MAIS