Sessão Assíncrona

23/03/2021 - 09:00 - 18:00
SA41 - Eixo 5 - Gestão e DCNT (TODOS OS DIAS)

34873 - PERFIL NUTRICIONAL DO PACIENTE EM TERAPIA NUTRICIONAL DOMICILIAR CONTEMPLADO POR DOAÇÃO DE DIETAS ESPECIAIS PELA SECRETARIA DE SAÚDE DE GOIÂNIA.
AIDA BRUNA QUILICI CAMOZZI - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS, LUCAS GONÇALVES - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS


Resumo
Objetiva-se identificar o perfil epidemiológico, demográfico e nutricional do paciente em terapia nutricional domiciliar contemplado por doação de dietas especiais. Trata-se de um estudo observacional prospectivo e descritivo, realizado em fontes de dados secundárias com 139 processos de pacientes. Foram coletados idade, sexo, diagnóstico clínico, condição de mobilidade, tipo de sonda, tipo de dieta especial, peso, altura, circunferência braquial, Índice de Massa Corporal, estado nutricional, quantidade de dieta solicitada e dispensada. A análise estatística contemplou a frequência absoluta e relativa para as variáveis categóricas e média e desvio padrão para as variáveis contínuas. O grupo estudado apresentou idade média 59,3 anos (DP±24) e 54,1% era do sexo feminino, houve predomínio da condição acamada, a patologia mais prevalente entre os idosos foi o Acidente Vascular Cerebral, entre os adultos foi o trauma e entre as crianças foram as Doenças Neurológicas Congênitas, a via de acesso mais frequente foi a gastrostomia e a dieta polimérica. Quanto ao estado nutricional crianças e idosos que iniciavam o tratamento com baixo peso apresentaram melhora do estado nutricional, condição não verificada entre os adultos. Foi possível verificar a terapia nutricional enteral domiciliar promove melhora do estado nutricional dos usuários do serviço.

Introdução
A terapia nutricional enteral visa a manutenção ou recuperação do estado nutricional do paciente que se encontra impossibilitado de alimentar por via oral, como em doenças neurológicas, distúrbios gastrintestinais, traumas, entre outros, e tais patologias demandam condição de internação, porém em longo prazo esse serviço além de ser muito dispendioso, pode se constituir num risco ao paciente 1,2. A internação domiciliar emerge como modalidade de cuidado para suprir as necessidades atuais de cuidados permanentes2. As dietas enterais industrializadas são produtos prontos para serem servidos, nutricionalmente completas, práticas e oferecem maior segurança quanto ao controle microbiológico e composição centesimal, entretanto, têm maior custo o que impossibilita o acesso à uma grande parcela da população e para isso o município de Goiânia dispõe de um serviço de doação de dietas especiais 3,4. O conhecimento quanto ao perfil do usuário, as morbidades mais prevalentes, a eficiência do serviço prestado nessa modalidade de atendimento possibilitará a gestão mais adequada dos recursos, melhora da assistência prestada e a melhora na qualidade de vida do paciente2.

Objetivos
Objetiva-se com esse estudo Identificar o perfil epidemiológico, demográfico e nutricional do paciente em terapia nutricional domiciliar contemplado por doação de dietas especiais pela Secretaria Municipal de Saúde e avaliar se os pacientes que recebem a doação da dieta apresentam melhora do estado nutricional.

Metodologia
Trata-se de um estudo observacional prospectivo e descritivo, realizado em fontes de dados secundárias. Foram coletados dados dos processos de dispensação de dietas especiais ativos durante o período de janeiro de 2016 a janeiro de 2018 de pacientes de todas as faixas etárias. A amostragem foi aleatória. Foram coletados idade, sexo, diagnóstico clínico, condição de mobilidade, tipo de sonda, tipo de dieta especial, peso, altura, circunferência braquial, Índice de Massa Corporal, estado nutricional, quantidade de dieta solicitada e dispensada e Identificação do serviço e distrito de residência.
Os dados foram analisados utilizando o pacote estatístico SPSS. A descrição das características gerais da amostra de acordo com a faixa etária foi realizada por meio de frequência absoluta (n) e relativa (%) para as variáveis categorias e média e desvio padrão para as variáveis contínuas. A normalidade foi verificada utilizando os testes de Wilcoxon e Qui-quadrado. CEP nº 3.166.021.

Resultados e Discussão
Foram coletados dados de 122 processos, a idade média foi de 59,3 anos e 54,1% era do sexo feminino. A amostra foi organizada por faixa etária desta forma, 10,6% estava na faixa etária de 6 a 19 anos, 34,4% na faixa de 20 a 59 anos e 54,9% tinham 60 ou mais anos, houve predomínio da condição acamada (78,6%). Entre as crianças o diagnóstico clínico mais prevalente foi o de Doença Neurológica Congênita (84,6%), entre os adultos foi o de trauma (33,3%) e entre os idosos foi o Acidente Vascular Encefálico (40,7%). A via de acesso mais frequente foi a gastrostomia (80,3%). Na avaliação do estado nutricional inicial das crianças e adolescentes 38,5% magreza acentuada e 15,4% magreza. Ao longo do tratamento houve ganho de peso com consequente melhoria do estado nutricional (p=0,003). Os adultos estavam em sua maioria eutróficos (54,8%) na avaliação inicial, mas ao longo do tratamento houve perda de peso. Entre os idosos, a prevalência de eutrofia e de baixo peso no diagnóstico inicial foi de 44,8% e ao longo do tratamento foi verificado ganho de peso (p=0,02), melhoria da medida de CB e de IMC. A medida de circunferência braquial não foi informada em 62,3% da amostra total (n=76).

Conclusões / Considerações finais
O estudo demonstrou que a maior proporção da população é de idosos, com mais da metade do sexo feminino, numa condição de mobilidade que é acamada, e o diagnóstico clínico mais prevalente entre os idosos foi o Acidente Vascular Cerebral, entre os adultos foi o trauma e entre as crianças foram as Doenças Neurológicas Congênitas, a via de acesso mais frequente foi a gastrostomia e a dieta polimérica industrializada. Quanto ao estado nutricional crianças e idosos que iniciavam o tratamento com baixo peso ganharam peso e melhoraram o estado nutricional, condição não verificada entre os adultos. Foi possível verificar a terapia nutricional enteral domiciliar promove melhora do estado nutricional dos usuários do serviço. Para melhora na avaliação do serviço é necessário que se revejam os protocolos de avaliação nutricional e de preenchimento dos instrumentos de avaliação dos pacientes para que todos os dados necessários sejam coletados.

Referências
1. Ministério da Saúde. Portaria nº 120/ SAS/MS, de 14 de abril de 2009. Institui Normas de Classificação e Credenciamento/Habilitação dos Serviços de Assistência de Alta Complexidade em Terapia Nutricional Enteral e Enteral/Parenteral. 2009.
2. Baxter YC, Dias MC, Maculevicius J, Cecconello I, Cotteleng B, Waitzberg DL. Economic study in surgical patients of a new model of nutrition therapy integrating hospital and home vs the conventional hospital model. Journal of Parenteral and Enteral Nutrition. Jan./fev., 2005; 29(1):96-105.
3. Novaes MRCG, Zaban ALRS. Perfil epidemiológico e aspectos econômicos da nutrição enteral domiciliar no Distrito Federal: uma análise histórica de 2000 a 2005. Comunicação em Ciências da Saúde. 2009; 20(2):143-150.
4. Prefeitura de Goiânia. Protocolo de dispensação de dietas especiais. Goiânia: Secretaria Municipal de Saúde, 2012.

Trabalhos Aprovados

Veja as orientações sobre a apresentação dos trabalhos.

SAIBA MAIS
Programação Científica

Consulte a programação completa das palestras e cursos disponíveis.

SAIBA MAIS
Informações Importantes

Informe-se!
Veja as últimas notícias!

SAIBA MAIS