Sessão Assíncrona

23/03/2021 - 09:00 - 18:00
SA53 - Eixo 7 - EDUCAÇÃO E TRABALHO EM SAÚDE NO CONTEXTO COVID-19 (GRUPO I) (TODOS OS DIAS)

34732 - CENTRO DE ACOLHIMENTO PSICOLÓGICO EMERGENCIAL PARA TRABALHADORES DA SESAB NO ENFRENTAMENTO DA COVID-19: SOU DO TAMANHO QUE VEJO
ÉRICA CRISTINA SILVA BOWES - SESAB, ANA FLÁVIA BARROS CRUZ - SESAB, ANGÉLICA ARAÚJO DE MENEZES - SESAB, BRUNO GUIMARÃES DE ALMEIDA - SESAB, CAMILA MOITINHO DE ARAGÃO BULCÃO - SESAB, LUCIANO DE PAULA MOURA - SESAB, ISABELA CARDOSO DE MATOS PINTO - UFBA


Resumo
A pandemia trouxe para o foco a situação de transtornos mentais e sofrimento psíquico dos trabalhadores da saúde, agravado pelo contexto da COVID-19. Assim, a Diretoria de Gestão do trabalho e Educação na Saúde (DGTES), a partir do Plano de Contingência COVID-19 para Trabalhadores e Trabalhadoras da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia, implementou o Centro de Acolhimento psicológico emergencial para trabalhadores da SESAB no enfrentamento da COVID-19, contribuindo com o cuidado à saúde mental dos trabalhadores. O objetivo do relato é descrever a implementação do serviço de acolhimento psicológico para os trabalhadores da SESAB e os caminhos do cuidado. Desde sua inauguração, 1.874 atendimentos, foram oferecidos 1.172 acolhimentos psicossociais, 525 atendimentos psicológicos, 100 PICS e 50 atendimentos psiquiátricos. Trata-se de uma metodologia descritiva e exploratória, pois o pesquisador, ao observar os fenômenos, busca conseguir resultados ao término da pesquisa, que permitam o entendimento destes fenômenos. Conhecer a realidade dos estressores mentais dos trabalhadores é premente para contribuir com no campo da saúde mental, sobretudo no período de pandemia da COVID-19, considerando as sobrecargas psicológicas e esgotamento mental relacionado ao trabalho. Palavras-chave: saúde mental, acolhimento psicológico, pandemia, saúde do trabalhador, humanização.

Introdução
O contexto de pandemia trouxe para o foco a situação de transtornos mentais e sofrimento psíquico dos trabalhadores da saúde, que se agravou provocado pela circulação do vírus SARS-CoV-2, e a instalação de um novo quadro epidemiológico, corroborando com o agravamento dos quadros de ansiedade, estresse e sofrimento psíquico entre trabalhadores da saúde, tendo em vista a intensificação do trabalho, a falta ou inadequação de EPI, o risco constante de contaminação, o medo e as incertezas de atuarem como veículo da contaminação aos familiares. A implementação de serviços especializados de saúde mental pode contribuir no reequilíbrio emocional, já que as situações de estresse podem impactar sobremaneira os trabalhadores da saúde, causando comprometimento da atenção, interferir na tomada de decisão, ocasionando sofrimento psíquico1. Desta forma, a Secretaria da Saúde do Estado da Bahia constituiu o Plano de Contingência para seus trabalhadores2, a fim de implementar estratégias para prevenção de riscos e proteção, criando Centro de Acolhimento Psicológico como serviço importante durante a pandemia com o propósito de acolher às vulnerabilidades da pessoa em sofrimento mental.

Objetivos
Descrever o processo de implementação do Centro de Acolhimento Psicológico Emergencial para os trabalhadores da SESAB, ofertado pela DGTES/SESAB, no contexto da pandemia da COVID-19.

Metodologia
Inaugurado em 08 de abril de 2020, a fim de acolher o trabalhador da saúde que apresenta sofrimento mental no contexto de pandemia. Oferta acolhimento psicossocial, orientação, práticas integrativas e complementares de saúde e plantão psiquiátrico, de maneira remota, formada por equipe multiprofissional. Inicia-se com acolhimento psicossocial que identifica a necessidade direcionando o fluxo: 1- Atendimento pontual voltados para casos que requerem suporte emocional e alívio de tensão. 2- Atendimento intermediário diante de quadro como estafa, fobias, crise de ansiedade e esgotamento emocional e por fim 3- plantão psiquiátrico para casos que apresentem demandas críticas, caracterizadas como ideação suicida e/ou transtornos mentais, estresse pós-traumático e ansiedade generalizada. Assim, o médico do plantão psiquiátrico deverá avaliar o caso e, se necessário, o encaminhará para a rede de referência pactuada, oferecendo suporte e manejo adequado. Funciona de 8h as 17h, semanalmente.

Resultados e Discussão
O centro fomenta cuidado à saúde mental e bem-estar dos trabalhadores, totalizando 1.874 atendimentos e 1.213 trabalhadores acolhidos. Serviços à distância: acolhimento (1.172); psicológico (525); PICS (100); psiquiátrico (50)3. Variável sexo: 827 (69%) mulheres; 376 (31%) homens. Categoria profissional: principais demandantes: técnicos/auxiliares de enfermagem: 240 (20,5%) acolhimentos, 186 (35,4%) psicológicos, 17 (34,0%) psiquiátricos, 28 (28,0%) PICS e 9 (33,3%) monitoramentos; Auxiliares administrativos, 54 (10,3%); enfermeiras, 46 (8,8%); e recepcionistas 26 (5,0%)3. Acesso por tipo de demanda: do total, 1.447 (77,2%) referenciados pela rede, 367 (19,6%) demanda espontânea, 60 (3,2%) sem informação3. Atendimento especializado proporciona acolhimento emocional evitando agravamento, principalmente trabalhadores já adoecidos, exigindo atenção e ações de promoção ao cuidado. Outros serviços vinculados à rede DGTES também implantaram estratégias na área. O fortalecimento destes contribui para cooperação e descentralização das ações na pandemia e posteriormente, minimiza implicações negativas, promove saúde mental, reconhece singularidades e possibilidades de oferta4,5.

Conclusões / Considerações finais
É relevante conhecer a realidade dos estressores mentais dos trabalhadores brasileiros como intuito de promover o bem estar e a saúde mental dos trabalhadores da saúde. Criar estratégias para o enfrentamento dos fatores estressores do sistema psíquico decorrentes das atividades dos profissionais de saúde durante o período da COVID-19 a fim de impedir o agravamento da saúde mental4. Recomenda-se a manutenção desses serviços após pandemia como possibilidade de cuidado contínuo aos trabalhadores, considerando as sobrecargas psicológicas e esgotamento mental relacionado ao trabalho. Assim, diante da complexidade que a área da saúde mental requer, sugere-se a necessidade de demais estudos e relatos de experiências voltadas para o apoio psicológico aos trabalhadores da saúde, a fim de contribuir com a qualificação das estratégias existentes, como também fomentar ações futuras no campo do cuidado e saúde mental dos trabalhadores da saúde.

Referências
1 Brasil, Ministério da Saúde. Fundação Osvaldo Cruz. Orientações aos trabalhadores dos serviços de saúde. Saúde Mental e Atenção psicossocial na pandemia COVID-19. 2020
2 Bahia. Secretaria da Saúde. Superintendência de Recursos Humanos da Saúde. Diretoria de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde. Plano de Contingência para Trabalhadores e Trabalhadoras da Secretaria da Saúde do Estado da Bahia. 2020a
3 Bahia. Secretaria da Saúde. Superintendência de Recursos Humanos da Saúde. Diretoria de Gestão do Trabalho e Educação na Saúde. Boletim Informativo dos Trabalhadores COVID-19. 2020b
4COVIDA.file:///C:/Users/felip/OneDrive/%C3%81rea%20de%20Trabalho/doutorado/COVIDA_Saude-do-Trabalhador.pdf
5 SAIDEL, MGB et al. Intervenções em saúde mental para profissionais de saúde frente a pandemia de Coronavírus. Rev Enferm. UERJ, v. 28, p. e49923, 2020

Trabalhos Aprovados

Veja as orientações sobre a apresentação dos trabalhos.

SAIBA MAIS
Programação Científica

Consulte a programação completa das palestras e cursos disponíveis.

SAIBA MAIS
Informações Importantes

Informe-se!
Veja as últimas notícias!

SAIBA MAIS