Comunicação Oral

26/03/2021 - 11:15 - 12:45
CC56 - Eixo 7 - Ensino e serviço no enfrentamento da pandemia

34724 - CONTRIBUIÇÕES DA EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA PARA O ENFRENTAMENTO DA COVID-19: PRÁTICAS EDUCATIVAS E ESTRATÉGIAS DE MOBILIZAÇÃO EM SAÚDE.  
LUCÉLIA LUIZ PEREIRA - UNB, AMANDA KELLEN PEREIRA DA SILVA - UNB, MAYRA FERNANDES XAVIER - UNB, LEONOR MARIA PACHECO SANTOS - UNB


Resumo
Nos últimos anos, as universidades sofrem com cortes orçamentários. Apesar disso, continuam fortalecendo o tripé ensino-pesquisa-extensão. Em meio à pandemia de Covid-19, por exemplo, se mostram dispostas a aplicar os conhecimentos e pesquisas em prol da sociedade, reafirmando seu papel social. O objetivo deste trabalho, portanto, é mapear atividades de extensão desenvolvidas pelas universidades para enfrentar a pandemia. Trata-se de um estudo transversal e retrospectivo realizado por meio da busca, nos sites oficiais de 114 universidades e da Fiocruz, de atividades de extensão relacionadas à Covid-19 (acesso entre 10 e 15 de maio de 2020). A análise se deu pela leitura integral dos títulos e descrições dos projetos, levando à identificação de 534 atividades realizadas pelas universidades no enfrentamento da Covid-19. Elas foram divididas em 10 temáticas, sendo que três delas são de interesse deste estudo, perfazendo 146 projetos (27,3% do total). Foram mapeadas atividades de informação, educação e comunicação (16,6%); estratégias de mobilização acadêmica e comunitária para promoção da saúde e prevenção dos agravos (4,9%), e ações de teleatendimento (5,8%). Assim, pode-se perceber que as universidades brasileiras sinalizam comprometimento com os problemas sociais, numa perspectiva interdisciplinar e com envolvimento de docentes, discentes e comunidade no combate à pandemia.


Introdução
A pandemia ocasionada pela Covid-19 se espalhou pelo mundo de forma devastadora. No Brasil, já temos mais de 4.6 milhões de infectados, e aproximadamente 140 mil mortes¹. Este contexto tem contribuído fortemente para que as crises econômicas e sanitárias se aprofundem no país. As universidades, diante deste cenário, têm reforçado a importância do seu papel social e da valorização e fortalecimento do tripé ensino-pesquisa-extensão² ³. Neste processo pandêmico, tem ocorrido uma gama de atividades de extensão relacionadas à Covid-19, o que demonstra o compromisso social das instituições universitárias em dar retorno de conhecimento produzido para o enfrentamento de problemas sociais ocasionados em momentos de crise, buscando auxiliar na construção de respostas rápidas às demandas sociais de saúde. Nesse sentido, a extensão universitária, a partir de uma dimensão dialógica, tem desenvolvido diversas atividades, dentre elas, de mobilização acadêmica e comunitária, de produção de práticas educativas e comunicação em saúde e de realização de teleatendimentos à população, de forma a exercer sua função social e fortalecer a cidadania da população. 


Objetivos
Mapear as atividades de extensão desenvolvidas pelas universidades brasileiras para enfrentamento da pandemia da Covid-19. Busca ainda, caracterizar tais atividades a partir da análise do perfil das ações de mobilização acadêmica e comunitária, de produção de práticas educativas, de informação e comunicação em saúde e de realização de teleatendimentos à população. 


Metodologia
Trata-se de estudo transversal retrospectivo realizado pela busca nos sites oficiais das 114 Universidades públicas brasileiras e a Fiocruz por atividades de extensão realizadas como enfrentamento imediato à Covid-19 (acesso de 10 a 15/05/2020), além dos projetos de extensão do site do Ministério da Educação, obtidos por meio de web scraping (acesso 15/05/20). A análise dos dados se deu pela leitura integral dos títulos/descrições das ações dos projetos de extensão, o que levou à criação de 10 temáticas. Duplas independentes de pesquisadores realizaram a categorização das ações por temas e esta, quando conflitante, foi ajuizada por um terceiro integrante da equipe. Para este trabalho foram consideradas as ações de: 1) Oferta de teleatendimento, teleconsulta e telemedicina; 2) Atividades de informação, educação e comunicação; cartilhas, confecção de material educativo sobre a pandemia; 3) Estratégias de mobilização acadêmica e comunitária para promoção da saúde e prevenção dos agravos.


Resultados e Discussão
Foram identificadas 534 atividades de extensão realizadas pelas universidades brasileiras para o enfrentamento da Covid-19, compondo uma diversidade de temas e áreas, sendo que 89,9% dessas atividades foram realizadas por universidades federais e 10,3% por instituições estaduais. Do total, 146 atividades (27,3%) se relacionam aos temas da presente pesquisa, distribuídas em: 16,6% de atividades de informação, educação e comunicação, 4,9% de estratégias de mobilização acadêmica e comunitária para promoção da saúde e prevenção dos agravos e 5,8% de ações de teleatendimento. A região nordeste abrigou a maior parte das atividades de mobilização (42,3%) e de teleatendimento (32,3%). Já a região sudeste, contou com um maior número de ações educativas e de informação (29,2%). Tal mapeamento permite demonstrar que as universidades se mobilizaram para desenvolver uma diversidade de atividades integradas para enfrentar a pandemia da Covid-19, tendo como eixo base conteúdos relacionados à promoção da saúde a partir do treinamento de profissionais de saúde, disseminação de informações sobre formas de transmissão e prevenção da infecção, sintomas e tratamento e importância do isolamento social.


Conclusões / Considerações finais
O enfrentamento da Covid-19 é um desafio para o Estado e para a sociedade. As universidades brasileiras, sintonizadas com os problemas sociais e compreendendo a importância do acesso à saúde, numa perspectiva interdisciplinar e com envolvimento de docentes, discentes e comunidade, tem realizado uma diversidade de atividades, tanto de extensão, quanto de pesquisa, como observado em outro estudo do grupo que avaliou 789 projetos de pesquisa e inovação. O processo de implementação de ações de extensão relacionadas às práticas educativas, de informação em saúde e de mobilização e atendimento à população, tem uma grande potencialidade porque permite difundir o conhecimento produzido pelas universidades, fortalecer a relação universidade-sociedade, além de ser um espaço rico de formação4. Portanto, as atividades de extensão, neste contexto de pandemia, se configuram como instrumento de democratização da ciência e fortalecimento da indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão.


Referências
1. Ministério da Saúde. Painel Coronavírus. https://covid.saude.gov.br/. Acesso em 25 setembro de 2020. 
 
2. Ministério da Educação. Resolução nº 7, de 18 de dezembro de 2018: Diretrizes para a Extensão na Educação Superior Brasileira. Diário Oficial da União, 2018:243 (s.1) 49. 
 
3. Santos, JH; Rocha, B.; Passaglio, K. Extensão universitária e formação no ensino superior. Revista Brasileira de Extensão Universitária, 2016; 7(1): 23-28. 
 
4. Barbosa, DS. Saberes e Práticas da Extensão Universitária na Resposta ao Enfrentamento da COVID-19 no Brasil. Revista Práticas em Extensão São Luís 2020;4(1):50-51.

Trabalhos Aprovados

Veja as orientações sobre a apresentação dos trabalhos.

SAIBA MAIS
Programação Científica

Consulte a programação completa das palestras e cursos disponíveis.

SAIBA MAIS
Informações Importantes

Informe-se!
Veja as últimas notícias!

SAIBA MAIS