Comunicação Oral

25/03/2021 - 16:30 - 18:00
CC50 - Eixo 7 - Educação e planejamento em saúde

34393 - A PRÁTICA DO PLANEJAMENTO EM SAÚDE NA ATENÇÃO SECUNDÁRIA: UMA ANÁLISE A PARTIR DO PMAQ-CEO
JEFTER HAAD RUIZ DA SILVA - UFAM, JANETE MARIA REBELO VIEIRA - UFAM, MARIA AUGUSTA BESSA REBELO - UFAM, LARISSA NEVES QUADROS - UFAM, ANDRESSA COELHO GOMES - UFAM, ISADORA LEONÍLIA DOS SANTOS LIRA - UFAM


Resumo
O objetivo do estudo foi avaliar a prática do planejamento nos Centros de Especialidades Odontológicas (CEO) do estado do Amazonas que fizeram adesão ao Programa Nacional de Melhoria do Acesso e da Qualidade dos Centros de Especialidades Odontológicas (PMAQ/CEO) na 1ª fase do programa. Realizou-se um estudo do tipo descritivo e seccional, utilizando-se microdados da avaliação externa do programa, a respeito das avaliações do módulo VIII referente à entrevista com profissionais, direcionado aos gerentes e cirurgiões-dentistas (CD). Os dados foram obtidos e tabulados pelo programa TabWin sendo exportados para o programa Excel. Dos 11 CEO estudados, somente 36,4% possuíam gerentes que atuavam exclusivamente na função e apenas 1 CEO realizou alguma ação de planejamento nos últimos 12 meses. Apesar de grande parte deles relatarem a realização de reuniões das equipes e procederem à autoavaliação, apenas 4 realizaram o monitoramento e análise das metas por especialidade e avaliaram as ações planejadas/programadas. Concluiu-se que a prática do planejamento nos serviços públicos de atenção secundária em saúde bucal no Amazonas ainda é frágil e incipiente para alcançar a melhoria do acesso e da qualidade dos serviços prestados à população.

Introdução
Planejar é a arte de elaborar o plano de um processo de mudança, compreendendo um conjunto de conhecimentos práticos e teóricos de modo a possibilitar a interação com a realidade, programar as estratégias e ações necessárias, no sentido de tornar possível alcançar os objetivos e metas desejados. No setor da saúde, o planejamento é o instrumento que permite melhorar o desempenho, otimizar a produção e elevar a eficácia e eficiência dos sistemas no desenvolvimento das funções de proteção, promoção, recuperação e reabilitação da saúde. Dessa forma, a avaliação da prática do planejamento nos serviços de saúde é imprescindível, levando-se em conta que este objetiva especificamente melhorar o estado de saúde de uma determinada população, garantindo o acesso com equidade e justiça, bem como agilizar a resposta do sistema de saúde às necessidades percebidas pela comunidade. No âmbito da saúde bucal, as ações de planejamento configuram uma ferramenta para encontrar soluções e enfrentar barreiras, como o acesso aos serviços odontológicos, onde se torna essencial o conhecimento quantitativo e qualitativo de dados indicativos à atenção secundária em saúde bucal.

Objetivos
O objetivo do presente estudo foi avaliar a prática do planejamento nos Centros de Especialidades Odontológicos, participantes do PMAQ no 1° ciclo, do estado do Amazonas.

Metodologia
Um estudo descritivo e seccional com base em dados secundários foi realizado, utilizando-se os microdados da avaliação externa do PMAQ-CEO no 1° ciclo, relativos a todos os Centros de Especialidades Odontológicas do estado do Amazonas que estabeleceram adesão ao programa. As variáveis do estudo foram selecionadas dentro do módulo de avaliação VIII, denominado “Entrevista com profissionais”, direcionado aos gerentes e pelo menos um cirurgião-dentista dos CEO, a fim de obter informações sobre o processo de trabalho da equipe. Ao total foram selecionadas 15 variáveis, distribuídas em informações a respeito do gerente do CEO, sendo todos os dados submetidos a uma análise estatística descritiva. As análises estatísticas referente ao estudo foram realizadas pelos programas Tab para Windows (TabWin) e Microsoft Office Excel.

Resultados e Discussão
Os dados dispostos no banco do 1º ciclo do PMAQ CEO em 2013 englobaram a presença de 11 Centros de Especialidades Odontológicas, sendo três na capital Manaus, e oito no interior do estado. Dos 11 CEO analisados, apenas 1 realizou planejamento nos últimos 12 meses, e 7 incluíram os dentistas nas ações do planejamento, enquanto nenhum dos CEO considerou os cinco itens no desenvolvimento do planejamento. Frente à avaliação das ações planejadas, menos da metade das equipes a realizavam. A prática de reuniões das equipes foi comprovada por 7 CEO, entretanto, a maior parte deles informou que não tinham periodicidade definida para as reuniões de equipe. Quanto ao apoio para a realização do planejamento em saúde, observou-se uma baixa porcentagem de CEO que o recebiam, contudo, no que se refere ao apoio da gestão na organização do processo de trabalho, os resultados foram melhores. Notou-se, também, a nulidade de CEO que utilizavam os quatro recursos principais para a realização do planejamento. E quanto ao processo de autoavaliação destes centros de especialidades, mais da metade destes relataram a realização de algum processo de autoavaliação nos últimos 6 meses.

Conclusões / Considerações finais
Ainda que itens relevantes da prática do planejamento tenham se mostrado positivos – como a realização da autoavaliação –, a implantação de ferramentas de planejamento nos CEO do estado do Amazonas mostrou-se frágil e incipiente para alcançar a melhoria do acesso e da qualidade dos serviços prestados à população. A prática do planejamento é fundamental na gestão e no cotidiano dos serviços odontológicos em qualquer cenário, e no contexto amazônico, com suas particularidades geográficas e o perfil epidemiológico de doenças bucais, pode ser entendido como imperativo.

Referências
Tancredi FB, Barrios SRL, Ferreira JHG. Série Saúde & Cidadania. Faculdade de Saúde Pública da Universidade de São Paulo, 1998.
Figueiredo IDT, Torres GMC, Cândido JAB, Morais APP, Pinto AGA, Almeida MI. Planejamento estratégico como ferramenta de gestão local na atenção primária à saúde. REFACS. 2020; 8(1):27-38.
Herkrath FJ, Herkrath APCQ, Costa LNBS, Gonçalves MJF. Desempenho dos Centros de Especialidades Odontológicas frente ao quadro sociodemográfico dos municípios do Amazonas, Brasil, 2009. Saúde debate. 2012; 37(96):148-58.
Machado FCA, Silva JV, Ferreira MAF. Fatores relacionados ao desempenho de Centros de Especialidades Odontológicas. Ciên. saúde coletiva. 2015 Abr; 20(4):1149-1163.
de Lucena EHG, de Lucena CDRX, de Goes PSA, de Sousa MF. Condições associadas a atividade de planejamento nos Centros de Especialidade Odontológicas. Univ Odontol. 2019 Jun; 38(80).

Trabalhos Aprovados

Veja as orientações sobre a apresentação dos trabalhos.

SAIBA MAIS
Programação Científica

Consulte a programação completa das palestras e cursos disponíveis.

SAIBA MAIS
Informações Importantes

Informe-se!
Veja as últimas notícias!

SAIBA MAIS