Comunicação Oral

26/03/2021 - 11:15 - 12:45
CC56 - Eixo 7 - Ensino e serviço no enfrentamento da pandemia

34238 - PROFISSIONAIS DE ENFERMAGEM DO NORDESTE FRENTE À PANDEMIA DA COVID-19
JULIANA PONTES SOARES - UFRN, PAULA BEATRIZ DE SOUZA MENDONÇA - UFRN, DEBORAH ZULEIDE DE FARIAS MELO - UFRN, JANETE LIMA DE CASTRO - UFRN


Resumo
Introdução: os profissionais de enfermagem estão entre os mais acometidos pela COVID-19 durante o desenvolvimento do seu trabalho, e no Brasil, a Região Nordeste apresenta o segundo maior número de casos e de óbitos pela COVID-19 nesses profissionais. Objetivo: descrever o quantitativo de exposição ocupacional de profissionais de enfermagem a COVID-19 na Região Nordeste do Brasil, no período de 26 de fevereiro a 13 de maio de 2020. Método: estudo de natureza descritiva que utilizou dados secundários obtidos por meio de consulta ao Observatório da Enfermagem, disponível no portal do Conselho Federal de Enfermagem. Os dados foram coletados de 3 a 13 de maio de 2020. Resultados: a Região Nordeste registrou 3.992 casos da COVID-19 em profissionais de enfermagem. Dentre seus estados destaca-se Pernambuco com maior número de profissionais contaminados e maior número de óbitos. A faixa etária predominante dos casos confirmados foi de 31 a 40 anos e a faixa etária predominante dos óbitos ocorridos foi de 51 a 60 anos. Dentre os óbitos, 68% ocorreram no sexo feminino. Conclusão: os profissionais de enfermagem enfrentam um grande desafio durante a pandemia da COVID-19 diante das condições de trabalho as quais estão expostos, levando-os ao adoecimento.

Introdução
Em todo o mundo, os sistemas de saúde enfrentam um dos maiores problemas de saúde pública vivenciado pela humanidade: a pandemia causada pelo vírus denominado Sars-COV-2. Os profissionais de enfermagem estão entre os mais acometidos com a COVID-19 durante o desenvolvimento do seu trabalho. Em 27 de março, o Brasil registrou os primeiros casos entre os membros da categoria e dentre as regiões do país, o Nordeste apresenta o segundo maior número de casos e de óbitos pela COVID-19 em profissionais de enfermagem, tendo tido o primeiro registro na região em 01 de abril de 2020. A literatura demonstra que as principais causas de contaminação de profissionais de saúde são: escassez de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), baixa qualidade dos EPIs, falta de capacitação profissional, contato com outros profissionais de saúde no ambiente de trabalho, jornadas de trabalho prolongadas, exposição a um grande número de pacientes infectados, intensificação do trabalho e falta de descanso suficiente durante os turnos de trabalho.

Objetivos
Considerando a evidência da problemática infere-se que as condições de trabalho dos profissionais de enfermagem podem contribuir para a contaminação. Dessa forma, considerando que o problema em discussão trata de uma emergência global, o presente trabalho tem como objetivo descrever o quantitativo de exposição ocupacional de profissionais de enfermagem a COVID-19 na Região Nordeste do Brasil, no período de 26 de fevereiro a 13 de maio de 2020.

Metodologia
Trata-se de um estudo descritivo que utilizou dados secundários, os quais foram obtidos por meio de consulta ao Observatório da Enfermagem, disponível no portal do Conselho Federal de Enfermagem (COFEN), no endereço eletrônico (http://observatoriodaenfermagem.cofen.gov.br/). Os acessos ao portal para coleta de dados ocorreram no período de 3 a 13 de maio de 2020. A população do estudo foi constituída por profissionais de enfermagem da Região Nordeste que testaram positivo para COVID-19 durante o período de 26 de fevereiro a 13 de maio de 2020.

Resultados e Discussão
De 26 de fevereiro de 2020 até 13 de maio do mesmo ano, foram diagnosticados 3.992 casos de COVID-19 em profissionais de enfermagem da Região Nordeste. Pernambuco destaca-se como o estado com maior número de casos e de óbitos, 999 e 15, respectivamente. O estado foi o primeiro no país a criar um protocolo para testagem em massa de profissionais e afastamento desses, caso estejam contaminados. A faixa etária predominante foi de 31 a 40 anos. Essa faixa etária é economicamente ativa e concentra o maior número de profissionais de acordo com a pesquisa desenvolvida sobre o perfil de enfermagem do Brasil. O número de óbitos entre os profissionais de enfermagem no Nordeste foi de 25, e esses ocorreram majoritariamente, no sexo feminino, com um percentual de 68,0%, e a faixa etária predominante dos óbitos foi de 51 a 60 anos, grupo considerado vulnerável para infecção. A força de trabalho na enfermagem é predominantemente feminina, e isso se tornou mais evidente nos dados disponibilizados durante a pandemia, onde o maior número de profissionais contaminados e que foram a óbito em todas as unidades federativas do Nordeste são, em sua maioria, do sexo feminino.

Conclusões / Considerações finais
Desenvolver o trabalho com maestria se tornou desafiador diante das condições de trabalho e adversidades enfrentadas diariamente pelos profissionais de enfermagem. Oferecer as condições ideais para o desenvolvimento do trabalho desses profissionais significa preservar a saúde dos mesmos, uma vez que a ocorrência de contaminação durante a pandemia apresenta-se relacionada a escassez ou falta de EPIs, jornadas de trabalho prolongadas sem descanso necessário e falta de qualificação profissional para o manejo clínico de pacientes suspeitos ou contaminados pela COVID-19. A pandemia apresenta-se como um desafio não apenas para os profissionais de enfermagem, mas também para a organização dos serviços de saúde. Dessa forma, este estudo não pretende findar a temática, mas trazer reflexões acerca da atuação dos profissionais de enfermagem no enfrentamento a COVID-19 pela importância que essa profissão representa para o funcionamento dos sistemas de saúde de todo o mundo.

Referências
1. Conselho Federal de Enfermagem. Observatório da Enfermagem [Internet]. 2020 [citado em 3 maio 2020]. Disponível em: http://observatoriodaenfermagem.cofen.gov.br/
2. Gallasch CH, Cunha ML, Pereira LAS, Silva-Junior JS. Prevenção relacionada à exposição ocupacional de profissionais de saúde no cenário de COVID-19. Rev Enferm UERJ 2020;28:e49596.
3. Miranda FMD, Santana LL, Pizzolato AC, Saquis LMM. Condições de trabalho e o impacto na saúde dos profissionais de enfermagem frente a COVID-19. Cogitare Enferm. 2020;25:e72702.
4. Pernambuco. Secretaria de Saúde. Boletim Covid-19 – comunicação SES-PE: 01.06.2020. 2020 [citado em 2 jun 2020]. Disponível em: https://www.pecontracoronavirus.pe.gov.br/boletim-secretaria-de-saude-n-de-casos-10/
5. Wang J, Zhou M, Liu F. Reasons for healthcare workers becoming infected with novel coronavírus disease 2019 (COVID-19) in China. J Hosp Infect. 2020;105:100-101.

Trabalhos Aprovados

Veja as orientações sobre a apresentação dos trabalhos.

SAIBA MAIS
Programação Científica

Consulte a programação completa das palestras e cursos disponíveis.

SAIBA MAIS
Informações Importantes

Informe-se!
Veja as últimas notícias!

SAIBA MAIS