Sessão Assíncrona

23/03/2021 - 09:00 - 18:00
SA11 - Eixo 10 - Produção de Conhecimento em Política, Planejamento e Gestão no Contexto da Saúde Coletiva (TODOS OS DIAS)

32486 - TERAPIA OCUPACIONAL, POLÍTICA, PLANEJAMENTO E GESTÃO: APROXIMANDO SABERES NO CONTEXTO DA SAÚDE COLETIVA
ANDRE EDUARDO MEI - UNICAMP, EVERARDO DUARTE NUNES - UNICAMP


Resumo
Compreendendo a Saúde Coletiva pode como um campo plural de saberes e práticas, e em constante transformação, o presente trabalho se dedica a uma aproximação entre a Terapia Ocupacional (TO) e a Saúde Coletiva por meio de aproximações da profissão com a Política, Planejamento e Gestão. Procura contribuir para a produção de conhecimentos de terapia ocupacional em saúde coletiva, por meio de levantamento bibliográfico em base de dados acerca de terapia ocupacional e política, planejamento e gestão. A seleção final do material contou num total de 50 artigos e os temas emergidos nos artigos sugerem que a aproximação da TO com a saúde coletiva pode contribui para a efetivação da integralidade, ao qualificar a leitura das demandas, coordenar o cuidado, ordenar estratégias de cuidado à diversos coletivos e elaborar políticas públicas ascendentes. A exploração dos encontros entre a terapia ocupacional e a saúde coletiva encontrou diversidade e potência para a prática assistencial, a gestão e as políticas públicas, sobretudo no âmbito da integralidade. Considera-se que este levantamento possa contribuir para a produção de conhecimentos de terapia ocupacional em saúde coletiva ao agregar possibilidades de ações convergentes em seu âmbito discursivo e conceitual.

Introdução
A Saúde Coletiva pode ser compreendida como um campo plural de saberes e práticas, e em constante transformação. Nesse contexto, emerge como um fenômeno a construção e a transformação das identidades construídas por distintas disciplinas e profissões (Silva, Pinto, 2013). Recentemente Nunes (2019) retomou uma discussão iniciada há quase duas décadas por Lamont e Molnár (2002) sobre as fronteiras e limites do conhecimento. Segundo as autoras: “uma maior integração é desejável porque poderia facilitar a identificação de semelhanças e diferenças teoricamente iluminadoras, como os limites são traçados em contextos e tipos de grupos, e nos níveis sociopsicológico, cultural e estrutural”.
Compreendendo a abrangência da Saúde Coletiva enquanto campo científico, um exercício de integração pode se dar a partir de aproximações com um de seus pilares disciplinares, a epidemiologia, as ciências sociais em saúde e a gestão e planejamento (Almeida-Filho, Paim, 2014). Dessa forma, o presente trabalho se dedica a uma aproximação entre a Terapia Ocupacional (TO) e a Saúde Coletiva por meio de aproximações da profissão com a Política, Planejamento e Gestão.


Objetivos
Objetivo Geral: contribuir para a produção de conhecimentos de terapia ocupacional em saúde coletiva;
Objetivos específicos: levantar literatura recente acerca de terapia ocupacional e política, planejamento e gestão; descrever as principais contribuições da terapia ocupacional em política, planejamento e gestão.


Metodologia
O presente estudo é de abordagem qualitativa, transversal, retrospectiva e exploratória (Gil, 2002). Trata-se de pesquisa bibliográfica, e a coleta de dados se constituiu em levantamento de artigos científicos na base de dados eletrônica da Biblioteca Virtual em Saúde (Bireme). Foi levantado o termo “Terapia Ocupacional” combinado por meio do conector boleano AND com os seguintes termos: “Política”, “Planejamento”, “Gestão”. Os critérios para seleção dos artigos foi: estar disponível integralmente online; ser em língua portuguesa; ter sido publicado entre 2011 e 2020.
Foi realizado um fichamento dos artigos selecionados, com informações gerais da obra, objeto central e observações gerais dos pesquisadores. Os dados foram agrupados por convergência de sentidos e discutidos à luz dos referenciais teóricos da terapia ocupacional, saúde coletiva e política, planejamento e gestão.


Resultados e Discussão
A seleção final do material contou num total de 50 artigos, após exclusão de duplicações. A relação entre TO e política apareceu em 28 artigos, que abordaram a prática da TO enquanto ação política, alimentando e sendo alimentada por programas e políticas públicas de distintos setores, voltadas a distintos públicos. A relação entre TO e planejamento apareceu em 9 artigos, e os conteúdos abordaram o planejamento de ações terapêuticas ocupacionais, a utilização de ferramentas e estratégias de planejamento e gestão para qualificação das ofertas e ordenamento do cuidado, e a prática da TO qualificando o planejamento de unidades. A relação entre TO e gestão apareceu em 15 artigos, sendo os conteúdos mais abordados a formação e a atuação da TO no âmbito da gestão, e a gestão como barreira ou facilitador da atuação da TO.
A literatura levantada sugere significativa diversidade de encontros entre a TO e a Saúde Coletiva. Os temas emergidos sugerem que a aproximação da TO com a saúde coletiva pode contribuir para qualificar a leitura das demandas, coordenar o cuidado, ordenar estratégias de cuidado à diversos coletivos e elaborar políticas públicas ascendentes.


Conclusões / Considerações finais
A exploração dos encontros entre a terapia ocupacional e a saúde coletiva encontrou diversidade e potência para a prática assistencial, a gestão e as políticas públicas, sobretudo no âmbito da integralidade. Considera-se que este levantamento possa contribuir para a produção de conhecimentos de terapia ocupacional em saúde coletiva ao agregar possibilidades de ações convergentes em seu âmbito discursivo e conceitual.
Recomenda-se que outras experiências e estudos sejam realizados e divulgados para agregar conhecimento ao tema, inclusive aproximando a terapia ocupacional dos demais pilares disciplinares da saúde coletiva, a epidemiologia e as ciências sociais em saúde.


Referências
ALMEIDA-FILHO, N.; PAIM, J.S. Saúde coletiva como campo de saberes e de práticas: abordagens e perspectivas. In: _______ (orgs.). Saúde Coletiva: teoria e prática. 1ª ed. Rio de Janeiro: Medbrook, 2014, p.41-45.

Gil, A.C. Como elaborar projetos de pesquisa. 4ª Ed. São Paulo: Atlas, 2002,
176p.

LAMONT M, MOLNÁR V. The study of boundaries in the social sciences. Annual Review of Sociology v. 28, n. 1, p.167-195, 2002.

NUNES. E. D. Fronteiras do Conhecimento e Saúde Coletiva. Ciência & Saúde Coletiva. v.24, n.9, p. 3179-3182, 2019.

SILVA, V.O.; PINTO, I.C.M. Construção da identidade dos atores da Saúde Coletiva no Brasil: uma revisão da literatura. Interface – Comunicação, Saúde, Educação. Botucatu, v.17, n.46, p.549-60, 2013.

Trabalhos Aprovados

Veja as orientações sobre a apresentação dos trabalhos.

SAIBA MAIS
Programação Científica

Consulte a programação completa das palestras e cursos disponíveis.

SAIBA MAIS
Informações Importantes

Informe-se!
Veja as últimas notícias!

SAIBA MAIS